Imprimir esta página

HISTÓRIA DE RESPLENDOR

HISTÓRIA DO MUNICÍPIO DE RESPLENDOR

 

Resplendor é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no vale do rio Doce, a leste da capital do estado, distando desta cerca de 440 km. Ocupa uma área de 1 081,796 km², sendo que 2,8 km² estão em perímetro urbano, e sua população em 2017 era de 17 715 habitantes. A sede tem uma temperatura média anual de 23,4 °C e na vegetação original do município predomina a Mata Atlântica. Com 75% da população vivendo na zona urbana, a cidade contava, em 2009, com 15 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,670, classificado como médio em relação ao estado. O povoamento do município teve início no final do século XIX, quando ocorre a civilização dos índios Aimorés, primitivos habitantes da região, pelo francês Guido Marlière. As terras são repassadas então a fazendeiros, que iniciaram o desenvolvimento da agricultura. Na década de 1910 a localidade passa a ser atendida pela Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), dando progresso à economia e ao desenvolvimento populacional, sendo que o núcleo urbano estabeleceu-se ao redor da estação ferroviária. Em 1911 cria-se o distrito de Resplendor, pertencente a Caratinga, tendo emancipado-se em 1938. A agricultura foi por muito tempo a principal fonte de renda municipal, mais tarde substituída pela extração mineral. Um dos principais atrativos é o Parque Estadual de Sete Salões, uma das principais reservas ambientais de Mata Atlântica da região do Vale do Rio Doce, que possui um complexo de montanhas, matas, cachoeiras, e grutas com pinturas rupestres. Também destaca-se o lago da barragem da Usina Hidrelétrica de Aimorés, no caminho do Rio Doce, onde tornou-se comum a prática de esportes aquáticos, náuticos e da pesca. O desbravamento da região do atual município de Resplendor tem início na segunda metade do século XIX. A região até então era habitada exclusivamente pelos índios Aimorés, que resistiram fortemente às imposições dos civilizados, ao contrário da maioria dos povos indígenas de outros lugares. No entanto, o francês Guido Marlière consegue obter uma civilização da etnia. Por volta de 1880, o coronel Manoel Gonçalves de Morais Carvalho toma posse de uma sesmaria, tendo repassado as terras a outros indivíduos e juntamente a estes deu início ao desenvolvimento da agricultura. Dado o desenvolvimento populacional e econômico, pela lei estadual nº 556, de 30 de agosto de 1911, cria-se o distrito de Resplendor, subordinado a Caratinga, sendo transferido para o então recém-criado município de Aimorés em 18 de setembro de 1915. O nome recebido pela localidade deve-se ao forte reflexo gerado por uma montanha ao ser iluminada pela luz do sol. No final da década de 1910 a localidade passa a ser atendida pela Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), dando progresso à economia local e colaborando com o desenvolvimento, sendo que o núcleo urbano estabeleceu-se ao redor da estação ferroviária. O distrito emancipa-se pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938. Quando emancipado, Resplendor era constituído de três distritos, além da sede, sendo eles Bom Jesus, Eme e Itueta. Bom Jesus passou a denominar-se Bom Pastor em 31 de dezembro de 1943. Pela lei nº 336, de 27 de dezembro de 1948, criam-se os distritos de Santa Rita do Itueto (ex-povoado) e Calixto (a partir do povoado de Santo Antônio da Fortaleza), emancipa-se o distrito de Itueta e Eme passa a denominar-se Independência e em 12 de dezembro de 1953 cria-se o distrito de Nicolândia a partir do povoado de Barra de Santa Cruz. Pela lei estadual nº 2.764, de 30 de dezembro de 1962, cria-se o distrito de Campo Alegre de Minas e Santa Rita do Itueto é elevada à categoria de município. Atualmente, restam cinco distritos: Bom Pastor, Calixto, Campo Alegre de Minas, Independência e Nicolândia, além do Distrito-Sede. 

 

O Município de Resplendor-MG faz fronteiras com os municípios de Ituêta,Conselheiro Pena e Cuparaque. A distância entre Resplendor-MG e Belo Horizonte-MG é de 456 quilômetros pela estrada e incluindo 313 quilômetros em auto-estrada. O percurso demora aproximadamente 5 horas e 26 minutos e passa por Governador Valadares, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Sabará e Santa Luzia. A distância entre Resplendor-MG e Governador Valadares-MG é de 133 quilômetros pela estrada. O percurso demora aproximadamente 1 hora e 44 minutos e passa por Conselheiro Pena. A distância entre Resplendor-MG e Vitória-ES é de 223 quilômetros pela estrada e incluindo 64 quilômetros em auto-estrada. O percurso demora aproximadamente 2 horas e 49 minutos e passa por Colatina, Serra, Eucalipto, São Vicente, Aimorés, João Neiva e Piraqueaçu.

Compartilhar nas redes sociais
  • Rádio Nocaute ao vivo: